segunda-feira, 14 de junho de 2010

Cinco motivos para torcer contra o Brasil nesta Copa do Mundo (e em todas as outras)

1. O patriotismo, nacionalismo e ufanismo são as ideologias mais desprezíveis do mundo. “Mas e quanto ao racismo e o fascismo?”, dirão alguns. Bem, o fascismo nasce justamente do cruzamento do racismo imemorial com o orgulho nacional do século XIX. patriotismo, ufanismo e nacionalismo são a antessala do fascismo. Nessa Copa, em especial, nunca vi uma abordagem tão belicista e ufanista, estimulados pela imprensa, a propaganda, a comissão técnica dessa seleção. Parece que estamos indo para a guerra. Pois bem, se vamos pra guerra, eu estou desertando desde já.

“O patriotismo é o último refúgio de um canalha” Samuel Johnson

“O nacionalismo é uma doença infantil; é o sarampo da humanidade” Albert Einstein

2. O Brasil é os Estados Unidos do futebol: a potência imperialista, gananciosa e supremacista. Quando se trata de futebol, os brasileiros sentem-se superiores, contam vantagem, querem ganhar sempre e em tudo. Nossa arrogância, preconceito e ganância futebolísticas deixam antever o que nós seremos no dia em que formos potência em alguma coisa realmente importante. E tome da ridícula rivalidade com a Argentina, da gananciosa ambição de vencer sempre, de se sentir melhor que todos os demais povos e países só porque temos mais títulos no futebol.

3. Não existe essa história de “a seleção representa o seu povo”. Balela. A seleção representa o Estado. Existem Estados sem povo, e povos sem Estado. Quem tem bandeira e representação na ONU, FIFA e COI são os Estados, não os povos. E o Estado brasileiro é um dos mais detestáveis dentre todos, controlado por uma elite abastada que vive à custa da espoliação, exploração, injustiça, violência. Corrupção, trabalho escravo, voto de cabresto, clientelismo, coronelismo, autoritarismo: isso (e muito mais) é o Brasil. Não serei eu a torcer para que esse Estado conquiste láureas e honrarias, mesmo que simbólicas.

4. O futebol é como um tumor cerebral: estupidifica e aliena. Enquanto houver uma bola rolando, o brasileiro esquece da espoliação e exploração acima mencionadas. Se você der ao brasileiro a opção de ter o padrão de vida sueco, e a seleção de futebol medíocre daquele país, o brasileiro vai optar por continuar miserável e craque de bola. Ainda que seja justamente a carência de motivos de alegria que torne o brasileiro tão dependente do futebol, será apenas quando superarmos essa obsessão futebolística que iremos progredir em termos políticos, sociais, éticos, etc.

5. Além de alienante, o futebol é irritante. Quanto antes acabarem os fogos de artifício, gritos e cornetadas, melhor. Vamos voltar à realidade e, quem sabe, fazer alguma coisa de útil com as nossas vidas.

25 comentários:

rafaeljacobsen21 disse...

Me gozei nas calças lendo esse texto!
Delícia!

Anônimo disse...

Mais um a ter orgasmos múltiplos!

Cláudio Godoy

Bruno Müller disse...

Obrigado, queridos, mas tal carência erótico-afetiva talvez recomende outras atividades que não a navegação internética... Abraços. ;)

Dano disse...

Muito bom o texto! Resumiu algumas ideias e sentimentos que eu não conseguia colocar no papel.

"Atualmente, são três os meios infalíveis que os ricos exploradores das misérias e necessidades do povo empregam para tornar a classe operária uma massa bruta: o esporte, o padre e o político." A Plebe, 19 de janeiro de 1935.

Andreia Cidade disse...

Não acho correto torcer para a seleção de um país que deixou impune torturadores que perpetraram a violencia criminosa no momento da ditadura.

Bruno Müller disse...

"Não acho correto torcer para a seleção de um país que deixou impune torturadores que perpetraram a violencia criminosa no momento da ditadura."

Taí, não havia pensado nisso. Pode ser o sexto motivo. Lembrando que o ex ditador argentino Jorge Videla está sendo processado em seu país por crimes contra a humanidade.

Assim sendo, torcer pela Argentina começa a fazer mais sentido que torcer pelo Brasil...

Rachel Siqueira disse...

Mais um excelente texto! Adorei!!!

Rachel Siqueira disse...

Mais um excelente texto, adorei!!!

Ruds disse...

Não tem como não concordar com isso.

Hoje voltando pra casa da faculdade me veio na cabeça a idéia de escrever sobre isso, citando justamente esses pontos.

Não sei como nunca tinha parado pra pensar, mas realmente é como uma guerra entre nações.. e foi justamente o que me fez pensar em escrever.

Sensacional!

Fernanda disse...

Gostei muito do texto, Bruno.
Parabéns.
O pensei hoje ao descer do meu quarto, ver todos reunidos na sala, tomar meu chá preto e ver os últimos minutos do jogo.
pensei: amanhã tenho que terminar um prazo, pegar um processo no forum e terminar uma Ação pq o cliente vai ligar.
E ai percebo a barulho na rua, quando meus pais retornam do mercado, dizem: está uma festa.
eu pensei: meu Deus, eu sou anormal pra esse país !
tudo é festa agora. esquecem das vidas, do quanto é importante a nossa evolução social, economica...por futebol
e não merece o governo ?

George Guimaraes disse...

Pô Bruno, e como é que eu vou vender comida durante os jogos se eu não exibi-los no restaurante? Já basta as pessoas não virem almoçar porque sequer vieram traalhar nesse dia.

De qualquer modo, excelente texto.

PS: Fiquei feliz pelo Rafael!

George Guimaraes disse...

Pô Bruno, e como é que eu vou vender comida durante os jogos se eu não exibi-los no restaurante? Já basta as pessoas não virem almoçar porque sequer vieram traalhar nesse dia.

De qualquer modo, excelente texto.

PS: Fiquei feliz pelo Rafael!

Anônimo disse...

Faltou apenas um último motivo. A Seleção é comandada por um idiota como técnico, jogadores limitadíssimos, o maior ladão da história do Futebol é o presidente da CBF, e quem comanda tudo isso é a Rede Globo de Televisão, a maior manipuladora de seres humanos da história deste Planeta. Perfeito o texto, o Futebol é apenas Futebol, as seleções são TIMES, e cada um torce para o time que mais lhe agradar. Por isso eu torço para a Holanda, um time que joga bonito, tem jogadores habilidosos.. E torço contra a CBF, para o bem do Brasil!

Bruno Müller disse...

Um último? Você acrescentou mais um cinco aí... hehehehe... Desse jeito vamos chegar aos 100 motivos antes do fim da Copa.

Anônimo disse...

Eu não torço pelo Brasil também porque me irrita muito ver toda a alienação da nossa sociedade que na copa se enche de um patriotismo falso e se orgulha de ser brasileiro. Já dizia um mal humorado: "toda unanimidade é burra". Eu sou obrigado a concordar.
Além do mais, ficar vendo a cara de Dani Alves, Luiz Fabiano, Kaká, Lúcio e companhia se achando os heróis de uma nação....me poupe! O Brasil vai ser um pais bem melhor de se viver no dia que nossos heróis tiverem mais cérebro e menos canelas!!!!
To doido pra chegar o dia 11 de julho e acabar logo essa copa. Pronto. Falei.

Rodrigo Xuxa disse...

Pelo jeito, vou na contramão dos comentários aqui apresentados. Péssimo texto.

O futebol tá longe de ser um problema, e longe de ser solução. É apenas um esporte, constituinte da cultura de boa parte deste país que convencionalmente chamamos Brasil.

As pessoas simplesmente não escolheriam a Suécia porque são brasileiros, se identificam com isso ao menos numa época do ano, e identificam o futebol como formador desta identidade.

Se eu te desse a opção de você ter o padrão de vida sueco, mas obrigatoriamente um clima igual ao da Suécia, aposto que você escolheria ficar neste clima tropical do Brasil, mesmo com todos os problemas.

Bruno Müller disse...

Eu não "ofertei" às pessoas um passaporte sueco, e sim um padrão de vida sueco, dentro do Brasil: educação e saúde públicas de alta qualidade, analfabetismo e pobreza zero, maior equidade social, salários justos, proteção aos desempregados, aposentadorias decentes, etc. Daí joga tudo isso na mesa e diz: "Mas tem uma condição. O Brasil nunca mais ganha um campeonato de futebol, nem de botão". O brasileiro aceita ou desiste? Claro que é uma discussão surreal. Daí sua veia satírica, se vc não percebeu.

Ah, e quanto a mim, aceitaria o clima sueco em 10 vidas consecutivas. O calor do Rio de Janeiro é insuportável. E pela mostra que tivemos esse ano, só vai piorar.

Anônimo disse...

Ah, que bom achar pessoas que pensam mais ou menos como eu... O que sempre me irritou foi essa mania de introjetar essa história de que "Brasil é o país do futebol" na cabeça da população. Os coitados ficam imbuídos de um espírito de conquista e de realização e não percebem que não tem participação alguma no processo. Pensando pelo lado dos grandes empresários, até que é bem conveniente um povo burro e fanático que "pensa" que escolhe suas paixões, pois fica mais fácil de vender cerveja, carro, torpedo de celular e outras coisas. Achei ótimo o Brasil perder, e rio de todos os empresários que vão ter que jogar fora suas campanhas publicitárias que contavam com a vitória e o Hexa, hahaha... aprendam a não depender da burrice para vender.

Bruno Müller disse...

"Achei ótimo o Brasil perder, e rio de todos os empresários que vão ter que jogar fora suas campanhas publicitárias que contavam com a vitória e o Hexa"

Infelizmente, nesse último ponto vc não está correto... Os capitalistas nunca jogam pra perder. Já tinham peça publicitária pra vitória e pra perder. Eles são os únicos que sempre saem ganhando. Porque nós permitimos.

Anônimo disse...

Caríssomo Bruno, estás certo, sem dúvidas. Empresários sempre tem alternativas para não perder (tanto) dinheiro. No entanto, sinto muito menos vontade de comprar coca-cola agora, com aquela propaganda deprimente dos meninos desenhados em impecável computação gráfica. Não dão mais cambalhotas, vislumbram estádios lotados, guerreiam com montros e quimeras de proporções míticas. Estão calados, cabisbaixos, derrotados, desiludidos. Perderam todo o objetivo e alegria de viver. Pobres meninos. É a esse tipo de prejuízo que me referia.

Loan disse...

Bom texto. Eu até que assisti e torci pro Brasil em alguns dias, mas não via muito sentido, no fundo, como ainda continuo não vendo. É engraçado como, quando a jogada é bonita, eu involuntariamente torço para times que eu não "deveria". Mas seu texto toca em pontos importantíssimos sobre o que é "adorar uma nação".

Pra que adorar uma nação? E desde pequeno me pergunto: Por que para um país subir (em qualquer sentido) outro tem que descer?

Anônimo disse...

Quero acrescentar mais um motivo: a copa é apenas um jogo de cartas marcadas, onde o campeão já é escolhido bem antes de começar. Em outras palavras: a copa do mundo não passa de business. Só o dinheiro interessa. Essa história de "que vença o melhor" não existe mais. Não se iludam.

Quem se convenceu com as justificativas da derrota do Brasil em 98 - por exemplo - deveria repensar sobre a intensidade com que torce para a seleção brasileira de futebol.

Bruno Müller disse...

Não sou adepto das teorias da conspiração e acho que quem insiste em dizer que a Copa de 98 foi "comprada" muitas vezes o faz justamente por não conseguir admitir que o Brasil pode perder no campo. Desde 1978, sempre que o Brasil perde, é campeão moral, é roubado, encantou mas não levou, coisa parecida. Não conseguem aceitar que às vezes o adversário simplesmente é melhor, ou jogou melhor. Daí também a tendência de eleger "vilões" (Zico que perdeu pênalti, "água batizada" em 90, Nike em 98 e por aí vai. Os vilões da vez são Dunga e Felipe Melo). Só em 2006 que realmente ficou difícil de arranjar desculpa.

A França venceu em 98 porque tinha Zidane, que é muito mais jogador que Ronaldo. Pra quem ainda tivesse dúvida, ele botou o Brasil na roda em 2006 e mostrou que 98 não foi um acidente.

Anônimo disse...

E p/ quem acha que a derrota de 98 é simples teoria da conspiração, quero que se lembrem de como foi a partida da seleção brasileira contra a holandesa. Jogaram com afico, raça e determinação, o que não foi visto na final contra a França. Se tivesse perdido contra a Holanda naquele jogo, pode ter certeza de que jamais teria essa ideia de jogo comprado. É só ver a diferença de como os brasileiros se portaram na semi-final e na final. Essa é a maior evidência do que insistem em dizer que é apenas "teoria da conspiração".

Em tempo: parei de torcer para a seleção brasileira desde então.

Anônimo disse...

Fico tentando imaginar o "conspirador" tentando explicar para os jogadores o plano de perder a Copa, explicando para eles o papel de cada um na trama, o "script" de cada um, e argumentando sobre como é importante que eles mantenham o sigilo da farsa. Mas aí lembro que eles são futebolistas desde que nasceram, provavelmente com severas defasagens cognitivas e com instintos de sobrevivência e senso de oportunidade apuradíssimos. Foi por água a conspiração: "quero mais é fazer gol, mano!"